06 de Janeiro de 2020
Ela roubou uma vida. Agora deve pagar com o coração. Nesse misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

l RESENHA: CORTE DE ESPINHOS E ROSAS – SARAH J. MAAS

Editora: Galera Record

Gênero: Romance, fantasia.

Páginas: 555

Nota: 9.0/10.0

Mal sabia eu que não seria capaz de me concentrar em QUALQUER OUTRA COISA enquanto estivesse no meio dela. Para um livro razoavelmente grande (ok, grande para o leitor comum), consegui terminar em cerca de um dia. Basicamente, me tornei um leitor de velocidade, porque simplesmente não conseguia soltar!

Primeiro de tudo, com Feyre é TÃO IMPRESSIONANTE. Super foda. Desde a primeira página, podemos vê-la caçando e sendo incrível. Ela é confiante consigo mesma. Eu também gostei de como antes da história principal, ela estava em um relacionamento simplesmente físico, vou dizer, com Isaac. Em YA, temos muitos autores que fazem do sexo um ponto realmente climático na história. Considerando que, com Feyre, isso acontece, e não é grande coisa, o que foi refrescante.

Claro que não podemos esquecer o mundo e a FANTASIA! Eu amei o conflito entre as Fadas e os mortais. Mas eu também amei como havia um aspecto de turbulência interior dentro da trama. Gosto quando a fantasia tem intrigas políticas dentro de seus governantes também. As próprias criaturas, Fadas, eram incríveis. Não posso falar com todos eles (porque há muito – este mundo tem muita profundidade), mas direi que suas habilidades distintas são FRESCAS. As outras criaturas também são realmente interessantes. Eu gostei da ideia de serem Fadas menos “humanos”, que são perigosos para os outras Fadas também.

“Somos poderosos demais, entediados demais com a mortalidade para sermos reprimidos por qualquer coisa.”

Também há romance. Eu sei que tem sido meio controverso em relação à ideia de que é uma relação doentia entre Tamlin e Feyre. Mas eu realmente não senti isso. Eu posso ver como os outros se sentiriam como se ela estivesse sendo mantida contra sua vontade, e que a certa altura foi quase aproveitada. Mas acho que Maas escreveu o relacionamento e a história suficientemente bem para deixar o leitor saber que Tamlin não estava fazendo nada de ruim quando se tratava de manter Feyre em cativeiro. Ele diz a ela várias vezes que ela pode deixá-lo, mas não o Reino das Fadas. E em relação à cena do corredor: ele não era ele mesmo na época, e foi dominado pela magia, então …

Gostei bastante do relacionamento de Feyre e Tamlin. Especialmente quando você aprende mais sobre como isso aconteceu, eu achei muito legal, na verdade. Também há várias cenas quentes, se é isso que você gosta. Mas, enquanto eu amava Tamlin, eu ainda sentia que havia algo faltando nele. Ele não parecia completamente desenvolvido. Ele estava um pouco seco quando não estava expressando suas grandes afeições por Feyre ou cheio de paixão!

Há toneladas de ação também. Essas foram algumas das minhas cenas favoritas absolutas. PORQUE UM, MAIS ALFABETIZAÇÃO !!

“Eu sabia… eu sabia que seguia um caminho que provavelmente terminaria com meu coração mortal despedaçado, mesmo assim… Mesmo assim, não pude evitar.”

Eu gostei muito do final, e se não fosse a conversa final de Feyre com Rhys (mais sobre ele mais tarde), eu o chamaria de finito. MAS, ELA TEM UM MOMENTO COM ELE QUE ME FEZ O QUE É!?! ??!?!? E basicamente, agora eu preciso da sequência mais rápido possível. Definitivamente, posso ver uma configuração para um possível triângulo amoroso no próximo livro, que não tenho certeza se quero ou não.

EU AMO RHYS. MAS EU AMO FEYRE E TAMLIN COMO PARES . Rhys é o bad boy sexy que eu amo, mas eu gostaria que houvesse MAIS dele no livro, porque então eu definitivamente seria tudo: LUZ VERDE NO TRIÂNGULO DO AMOR. E transportando Feyre e Rhys até a lua. Quando eles tiveram cenas juntos, a tensão sexual estava em SOBRECARGA. Mas, infelizmente, ele não foi muito proeminente até a última parte do livro. Então, acho que vou continuar enviando Feyre e Tamlin, e ficar com Rhys para mim. Parece bom!

Então, apesar de tudo, eu realmente gostei. Eu tive meus pequenos problemas com Tamlin, meio que com falta de personalidade quando ele não estava namorando Feyre, mas isso não afetou muito meu amor pelo livro, CLARAMENTE. Eu ainda amo TAMLIN DEMAIS.❤

“Agradeça por seu coração humano, Feyre. Tenha piedade daqueles que não sentem nada.”

postado por lucasadminst
compartilhe o post:  
comentários