29 de Agosto de 2019
Lena Duchannes é diferente de qualquer pessoa que a pequena cidade de Gatlin, no sul, já viu, e está lutando para esconder seu poder, e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mas mesmo dentro dos jardins, pântanos escuros e cemitérios em ruínas do sul esquecido, um segredo não pode ficar escondido para sempre. Ethan Wate, que conta os meses até conseguir escapar de Gatlin, é assombrado pelos sonhos de uma garota bonita que nunca conheceu. Quando Lena se muda para a plantação mais antiga e infame da cidade, Ethan é inexplicavelmente atraído por ela e determinado a descobrir a conexão entre eles. Em uma cidade sem surpresas, um segredo pode mudar tudo.

l RESENHA: DEZESSEIS LUAS (BEAUTIFUL CREATURES #1) – KAMI GARCIA, MARGARET STOHL

Editora: Intrínseca

Páginas: 490

Nota: 4.0/ 5.0

Eu experimentei uma grande variedade de emoções enquanto lia Dezesseis Luas. Comecei extremamente empolgado, com grandes expectativas, devido à quantidade de elogios universais que recebia (eu até pensei que poderia ser o meu top 10 de 2009), mas assim que comecei a ler, senti uma sensação avassaladora de aborrecimento que acredito ter chegado. desde o reconhecimento – onde eu li esse enredo antes? Não durou muito, pois a história se mostrou bastante original. Comecei então a alternar entre estar levemente entediado e extremamente intrigado. Gostei muito do mistério e do cenário, mas ao mesmo tempo não me relacionei com os personagens. Acredito que essa flutuação na minha experiência de leitura seja reflexo de um livro desigual, com pontos bons e … não tão bons.

Se você conta seus segredos ao vento, não pode culpa-lo por revela-los as árvores.

A trama e o cenário foram definitivamente os destaques do romance. O primeiro foi emocionante e me deixou adivinhando e interessado até o fim, e o segundo proporcionou uma excelente atmosfera, com uma sensação do sul que eu quase podia tocar. A pequena cidade emoldurando o romance foi muito bem-feita e eu me senti sufocando junto com Ethan, um sentimento que só cresceu em um crescendo quando ele conheceu melhor seus vizinhos. Há uma rica história relacionada à Guerra Civil, que apareceu no livro através de encenações da cidade dos dias atuais e flashbacks do passado, e eu realmente gostei de ler isso. Quanto à trama, ela se parece muito com um romance de mistério, com o suspense por trás da maldição que atormenta a família de Lena e a própria Lena. Gostei de como Ethan e Lena se combinaram para investigar a razão por trás da maldição e encontrar uma maneira de sair dela.

Outra coisa que eu absolutamente adorei foi o fato de que não havia um vampiro ou anjo caído à vista (eu estou sinceramente esgotado) e eu amei a mitologia em torno dos Conjuradores e seus poderes, que era definitivamente original.

Minha impressão geral sobre o enredo e a execução da história é muito positiva. Fiquei muito impressionado com as páginas finais e a conclusão (por enquanto) do enredo – gostei particularmente de como as coisas se desenrolaram no final, com a ideia de consequências para as ações e decisões de alguém presentes e com os autores seguindo com o alto apostas conforme o esperado. Senti que não havia golpe aqui e sou grato por isso.

Talvez eu tenha feito um buraco no céu e o universo estivesse prestes a cair sobre mim.

Foi aqui que o romance não funcionou para mim no final e explica como me senti ao lê-lo. Parte de mim estava realmente interessado no que estava acontecendo, mas ao mesmo tempo eu estava me sentindo estranhamente insensível  – pois eu realmente não me importei com os personagens e o que acabaria acontecendo com eles.

Quando leio um livro, quero ser capaz de entender pelo menos as ações dos personagens, mesmo que eu não concorde com eles. Quero poder me relacionar, gostar ou até não gostar de um personagem intensamente. Mas me senti estranhamente desapegado e acho que vem de uma má caracterização.

Veja o narrador, por exemplo. O livro tem descrições tão ricas da cidade e da vida em cidade pequena, no entanto, não posso lhe dizer como é Ethan. Eu não faço ideia. Eu sei que ele tem cabelos emo e usa camisetas velhas e é alto, mas além disso – ele é meio que não descrito.

Também tive dificuldade em comprar algumas das ações do personagem. Eu fiz várias vezes, várias vezes enquanto lia o livro. Eu não podia acreditar como Ethan simplesmente não fez nada quando seu melhor amigo foi embora com alguém que ele sabia que era MAL e possivelmente conspirava para matar sua namorada. Seu raciocínio era que Link não acreditaria nele: sim, porque isso supera seu melhor amigo possivelmente estar em PERIGO saindo com um lunático! No começo, antes que Ethan soubesse de alguma coisa, antes mesmo de conhecer Lena, ele tem esses pesadelos e acorda com lama nas mãos e não pensa muito nisso? não fala com ninguém? Isso não é estranho? Eu ficaria tão desesperado se acordasse de pesadelos com a lama que estava no sonho agora presa em minhas mãos.

Havia meses que eu tinha o mesmo sonho. Apesar de não conseguir me lembrar de tudo, a parte do qual eu me lembrava era sempre a mesma. A garota estava caindo. Eu estava caindo. Tinha que me segurar, mas não conseguia. Se eu soltasse, alguma coisa terrível aconteceria com ela. Mas esse era o problema. Eu não conseguia soltar. Não podia perdê-la. Era como se eu estivesse apaixonado por ela, mesmo não a conhecendo. Tipo um amor antes da primeira vista.

Eu também não entendia como todos na cidade e na vida de Ethan eram tão intrometidos e, no entanto, ninguém, ninguém se preocupava com o pai, que passava os dias de pijama, e fechava em seu escritório e nada foi feito até que era tarde demais.

Eu não sinto que realmente conheço nenhum dos personagens, incluindo Lena e seu tio Macon, que eram os personagens que eu sentia que tinham muito potencial e, no entanto, eu pensei que infelizmente estavam subdesenvolvidos.

E não vou mencionar a maneira como os adultos mantiveram as crianças no escuro em uma situação de VIDA E MORTE, porque dessa maneira reside a loucura.

Apesar dos meus problemas com os personagens, me senti obrigado a ler para saber mais sobre a história das famílias e o mistério geral. Eu acho que havia algumas boas idéias neste livro, embora a caracterização precise funcionar. Talvez na sequência?

postado por lucasadminst
compartilhe o post:  
comentários